Por que as bicicletas se mantêm em equilíbrio?

Por que as bicicletas se mantem em equilibrio

Essa pergunta tão comum trouxe aos autores da Coleção Tesouro da Juventude uma oportunidade de ouro para treinar o raciocínio e o espírito investigativo das crianças. Primeiro, transcrevo a resposta, tal como está no livro:

Na resposta a esta pergunta podemos apreender a maneira de responder adequadamente a outras perguntas análogas. Todos sabem que as bicicletas não se mantêm direitas quando paradas, mas, sim, quando em movimento. Idêntico fenômeno se observa com os arcos. Quanto maior é a velocidade de uma bicicleta ou de um arco, maior é também a tendência de se conservarem direitos. Alguma coisa deve, pois existir na própria natureza do movimento que mantenha direita a bicicleta, porque, de contrário, esta também se conservaria direita quando estivesse parada. Chegados a esta altura, adquirimos maior confiança em achar uma explicação satisfatória do fenômeno, pois já temos a atenção fixada no fato onde a resposta reside. Recordemos agora nossos conhecimentos relativos ao movimento e vejamos se alguma das suas leis pode explicar-nos o caso. A primeira lei de Newton, relativa ao movimento, constitui por si própria, a resposta. Diz ela que um corpo em movimento continuará a mover-se sempre na mesma direção e com uma velocidade constante, se não existir outra força qualquer que atue sobre ele. É isto, precisamente, o que acontece com as bicicletas e os arcos. Estes corpos se movem numa direção determinada e, em obediência à primeira lei de movimento, devem continuar a mover-se na mesma direção enquanto outra força os não desvie dela, razão por que se mantêm direitos.

Primeiro eles relembram à criança que as bicicletas paradas não conseguem ficar equilibradas, assim como os arcos. Logo, a causa está no fenômeno do movimento!

Uma demonstração primorosa de como funciona o método científico, como se observa um fenômeno para estudo e um enunciado da primeira lei de Newton que a criança nunca mais vai esquecer.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email